O fundo deste blogue é propositadamente escuro, para proporcionar um menor consumo energético.

2012-12-27

Barragem Romana da Abobeleira - Chaves, PT

Zona envolvente da barragem (41º 45' 20,78'' N 7º 29' 24,24'' W)
Nos arredores de Chaves, mais precisamente na direção nor-noroeste, perto da localidade de Abobeleira, existem vestígios de uma barragem construída pelos romanos no século I DC, barragem essa que fazia parte de um conjunto de captações de água que abasteciam a Civitas de Aquae Flaviae.
Das estruturas então existentes restam somente os encontros do paredão que fechavam o vale e, a jusante, vestígios do aqueduto que conduzia a água até à cidade.

Vestígios do aqueduto (41º 45' 22,30'' N 7º 29' 25,08'' W)
De acordo com as escavações e observações efetuadas nos finais do século passado, a barragem seria constituída por um dique de retenção das águas com uma altura estimada de 17 metros e um vão de aproximadamente 90 metros. A estrutura do paredão, com uma largura total superior a 7 m, era composta por quatro muros paralelos, com uma espessura de 60 cm, construídos com blocos graníticos em opus incertum e ligados por opus caementicium, em dupla face, sendo o alicerce assente sobre entalhes efetuados no afloramento rochoso. Os muros dispostos radialmente a partir do topo da encosta, eram travados internamente por contrafortes, igualmente construídos com blocos graníticos, sendo o espaço entre estes, que varia entre 1,4 e 2 m, preenchido com terra compactada e argila.

Bacia da albufeira e respetivo aqueduto (à direita)

Desde 1992 que está classificada como imóvel de interesse público (Decreto nº 26-A/92, DR, 1.ª série-B, n.º 126 de 01 junho 1992).

Foto das escavações efectuadas nos finais da década de 1980
Durante a visita efetuada a 27 de dezembro de 2012, pude constatar o abandono a que o local está votado, repleto de vegetação invasora e sem qualquer referência alusiva ao monumento, conforme se pode constatar pelas imagens.





3 comentários:

  1. Belo convite este teu post.
    Que pena a herança romana estar neste estado de abandono. A região de Chaves teria tanto a ganhar com a exploração desse património.

    ResponderEliminar
  2. Eu fui e verifiquei com mta mágoa o estado de degradaçao e abandono k s encontra esta barragem, sita na Abobeleira...fiquei mto triste ao verificar, in loco, os acessos, a inexistencia d qq inf...recordo k estamos a falar da estrutura romana k permitia "encher" Aquae Flaviae d água...aproveito para dizer do estado tb degradado e abandonado das 2 calçadas romanas existentes no concelho: calçadas d S Lourenço e de Sanjurge. Q fazer d uma camara k s individou nos 48 milhoes!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  3. JAvelino de Carvalho2 de janeiro de 2013 às 14:02

    fiz parte da "expedição" realizada,--debaixo da orientação técnica e histórica--pelo Eng. Paulo Coimbra e pelo Professor Rui Queirós, e digo, por amor á verdade, que desconhecia por completo a existência da barragem da Abobeleira, bem como da "rocha" (com gravuras inerentes a símbolos de então!!!)conhecida, como "Outeiro Machado"...pude verificar o abandono d esta mais valia histórica inerente á região do Concelho de Chaves e a minha ignorância´sobre a matéria é, consequente á pouca divulgação que a Autarquia faz!!!possivelmente, noutras latitudes, tal não acontecería...

    ResponderEliminar